Notícias
No rádio, Dr. Panelli sinaliza que festas tradicionais julinas precisam figurar no calendário municipal.


Segunda-feira, o programa radiofônico semanal “Câmara Aberta”, recebeu o presidente do Poder Legislativo, Dr. Panelli. Semanal, vai ao ar das 20 às 22h, na rádio Onda FM (www.radioondacaieiras.com.br), é apresentado pelo jornalista Célio Campos e constitui-se como mais uma forma de prestação de serviços oferecida pelo parlamento, no sentido de prestar contas junto à população. Considerando, o presidente defendeu que duas festas tradicionais do município passem a figurar no calendário municipal: Festa do Alambique e Festa da Família do Paulo Major. Ambas ocorrem no mês de julho.
“Se pesquisarmos, veremos que em Caieiras as únicas duas festas tradicionais que restaram são as festas do Alambique e da família do finado Paulo Major. Promovidas justamente em cumprimento de tradições que atravessaram décadas e se sustentam graças aos esforços das famílias que não deixam apagar no tempo essas histórias maravilhosas de nossa gente e de nosso povo. Está na hora do município abraçar essa causa nobre”, propôs.
Discorrendo acerca do tema, Dr. Panelli disse ter em mente viabilizar meios em estimular o resgate cultural das festas populares e seu papel na integração social de indivíduos e grupos; proporcionar à população caieirense novas atividades de lazer, convívio, divertimento, informação e formação cultural; valorizar uma festividade que faz parte da tradição municipal, em particular da população religiosa que possui profundas raízes com as celebrações.
“Quando falo em inserção dos eventos perante o calendário municipal, quero dizer que precisamos agregar apoio a esses ‘gigantes’, facilitar suas ações e dar uma dimensão ainda maior aos acontecimentos que prezam em oferecer guloseimas de graça a todos que delas participam. Com os investimentos que estamos presenciando no segmento turístico da cidade, seria um momento muito oportuno para promover um intercâmbio cultural com os municípios da região, inclusive divulgando a música, as danças, a culinária e outros aspectos destas tradicionais festas populares”, sintetizou.
“Isso em nada tiraria o charme das festas, tampouco nos apropriaríamos de alguma coisa. Essas festas continuariam sob o controle das famílias. A ideia é ampliar a participação popular, ajudando os responsáveis a promover eventos cada vez maiores, dispondo de apoio governamental, vez que as festas divulgam muito o nome da cidade. Portanto, nada mais justo que a cidade ajudá-las de uma forma oficial”, sugere o presidente.