Notícias
Discussões acerca das restrições no trânsito de caminhões foram iniciadas em Caieiras

Limitação da circulação de veículos pesados busca diminuir os elevados índices de acidentes e os congestionamentos que se avolumam no entorno da avenida Paulicéia, nas Laranjeiras

Sob acirrados posicionamentos, teve início na noite de terça-feira, 10, a Audiência Pública que abriu o debate quanto às restrições ou não a serem impostas no trânsito de caminhões que circulam pela extensão da avenida Paulicéia e vias do entorno, nas Laranjeiras. O palco dos debates foi o auditório da ETEC Caieiras, reunindo os vereadores proponentes do tema, Dr. Panelli e Régis do HC, Fabrício Calandrini (presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação) e ainda o representante da comunidade e morador local, vereador Alemão da Barroca. Agora, o projeto aguarda encaminhamento ao plenário para ser votado.

O foco foi o Projeto de Lei 085/2019 que tramita na Casa, autorizando que a Prefeitura efetue restrições a caminhões, de segunda a sábado, das 6:00 às 20:00, tendo como base o dígito final das placas, oferecendo como conformidade o seguinte disposto: placas de dígito final par nos dias de números pares; placas de dígito final ímpar nos dias de números ímpares.

“Não queremos prejudicar ninguém, queremos sim, que o coletivo, isto é, moradores, comerciantes, se sintam protegidos mediante correções que precisam ser feitas. Não dá mais para tolerar a principal avenida do bairro mais populoso da cidade se tornando intransitável e não buscar saídas. Somente os caminhões devidamente cadastrados e autorizados poderão transitar nos horários de restrição, se previstos na legislação vigente”, esclareceu o Dr. Panelli.

Secretário municipal de Segurança Pública e Mobilidade Urbana, Rodrygo Santiago fez outros oportunos esclarecimentos. “A justificativa oficial para implantação da medida de proibição configura-se numa tentativa de reduzir os congestionamentos. As vias internas da cidade – no caso em específico a avenida Paulicéia - se transformaram em rotas de fuga para os motoristas dispostos a driblar os pedágios do entorno e a conta que a cidade vem pagando está elevadíssima”, apontou.

Na proposta, caminhões com placas de Caieiras, veículos oficiais da Prefeitura e de concessionárias (Elektro, Sabesp, Bombeiros, Polícias, ambulâncias, gás, Correios, guinchos), todos devidamente identificados, assim como aqueles cujas cargas/descargas se comprovem mediante nota fiscal que se processarão em obras, residências ou estabelecimentos comerciais em operações na cidade estarão livres do rodízio.

Munidos de dados estatísticos compartilhados com a assistência, vereadores informaram que a Prefeitura sinalizará todos os trechos em que houver a restrição ao trânsito de veículos automotores pesados em no máximo 30 dias. Motoristas que inobservarem a restrição incorrerão em infração média (Art. 187 da Lei Federal 9503 – 23/9/97), o que se lhes acarretarão aplicações de penalidades de multa e perda de quatro pontos junto à Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

CONTRADITÓRIOS

Munícipes tiveram oportunidades de se manifestar, expondo o ponto de vista acerca da matéria colocada em discussão. Como se esperava, uns se mostraram favoráveis; outros contrários. Houve ainda aqueles que aproveitaram para pedir melhorias no viário por conta da Prefeitura.

Para alguns, a medida não resolve o caos viários que se instalou na extensão da avenida. Para outros, o problema maior se repousa à explosão populacional que se processa no entorno da via, mediante a liberação de novos empreendimentos imobiliários. Hoje, a frota de veículos em Caieiras registra 46 mil carros.

Ainda com reservas, representantes de empresas chegaram a ventilar risco de desemprego resultante da medida. Foram posicionados com dados consistentes, onde o princípio das ações parte justamente para organizar, controlar e preservar quem se dirige ao município para justamente construí-lo com responsabilidade, sem fazer dele um trampolim para a prática de evasão de receitas.